Defeito de Software?

Estou listando aqui o que estava escrito na edição 26780 do jornal O Globo.

A maior tragédia da aviação brasileira ainda está sob investigação. Qualquer conclusão é precipitada. No entanto, chamou a minha atenção o que li no jornal. Creio que é a primeira vez que se discute o papel do software nesse acidente. Em outros acidentes aéreos, já se tem discutido o papel do software.

Jornal O Globo, 2 de dezembro de 2006, página 18

“Controlador B: “Existe uma ficha que apresenta o nível de vôo proposto e o nível autorizado. Foi isso o que induziu o controlador ao erro. Na ficha, aparecia o nível de vôo que eles estavam mantendo, 370. E o nível de vôo após Brasília, 360. Quando chegou a Brasília, o nível solicitado veio como autorizado. Ele veio automático para nós. Isso é o software que transforma automaticamente. E já tínhamos alertado para esse problema havia muito tempo. Aí o software jogou para nossa tela o nível solicitado como se fosse o autorizado.
Quando isso aconteceu, nossa visualização estava: Legacy 360, e não 370. Como o radar secundário não estava captando as informações do transponder, o radar primário que oscila muito, mostrou o jato a 360. Lembro até que um dos controladores perguntou: “Qual o nível do Legacy?” E o outro disse: ´360´.””

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: