Acesso livre às bibliotecas digitais

O conceito de biblioteca digital é um dos grandes avanços produzidos pelas tecnologias de informação. Com a biblioteca digital facilita-se o acesso a determinada obra literária, como também novas formas de encontrar-se a obra desejada. Vale ressaltar que, supondo-se o suporte adequado da tecnologia, essa biblioteca poderá ser visitada globalmente 24 horas por dia 7 dias na semana (24/7).

Muitas vezes, é difícil conscientizar-se, mas esse fato, acessibilidade, é uma mudança fantástica em termos de proliferação do conhecimento. No extremo das possibilidades é como se pudéssemos ter acesso a todas as bibliotecas do mundo sem precisar sair de casa, ou do trabalho ou do centro de convivência, enfim do lugar onde nos conectamos a rede.

Some-se a acessibilidade, o fato de que a busca de uma obra de nosso interesse é agora facilitada, porque podemos procurar por qualquer palavra escrita em qualquer dessas obras literárias!

Isso traz uma liberdade incrível, face às tradicionais formas que a busca a obras literárias são feitas em bibliotecas convencionais. Claro que essa liberdade tem um preço. Esse preço significa que dada a busca por uma palavra qualquer o resultado pode ser de pouca utilidade, face o número de respostas que se obteria. Tem dúvida, então veja ao usar o google quantas respostas teremos se procurarmos pela palavra “mundo” 272.000.000, no entanto se procuramos por “world” teremos como resposta 6.450.000.000. Ambos os números são intratáveis para qualquer pessoa.

Aqui se abre um novo mundo, que começa a ser gradativamente explorado. São vários os exemplos de uso de biblioteca digitais: seus portais de acesso, sua forma de catalogação, as possibilidades da construção de referências cruzadas, bem como a possibilidade de que se possa saber como essas obras estão relacionadas (que obra refere à outra obra).

Os desafios para o tratamento dessa liberdade, trazida pelas bibliotecas digitais, são imensos. Abre-se uma nova fronteira de pesquisa tanto do ponto de vista de hardware como no ponto de vista de software, mas principalmente de software. No entanto, os desafios não param por aí. Grandes, também, são os desafios para questões de outras áreas, como a economia e a política social.

Dentre os vários desafios um dos que tem despertado grande debate é sobre como regular a acessibilidade. Isto é, essas bibliotecas são bibliotecas públicas ou são bibliotecas privadas?

Em particular, queremos focar em bibliotecas com resultados de pesquisas científicas. Estas bibliotecas devem ser públicas? Lembre-se estamos falando de biblioteca digital. Ao se tornarem públicas, estarão disponíveis para todos com acesso a rede. É um nível de liberdade de grande impacto.

Para que essas bibliotecas sejam públicas quem vai pagar a sua construção e manutenção? São várias, as propostas, e aí reside a interseção com as áreas de políticas sociais e economia.

Uma das maiores editoras de publicações científicas, a Springer, está repassando esse custo aos autores ( a Blackwell também), isto é, propõe-se a disponibilizar a obra de forma livre, mas os custos seriam de responsabilidade dos autores. A Springer está cobrando cerca de 6 mil reais por artigo para que o mesmo tenha acesso público.

Outra estratégia é a da ACM e do IEEE que são detentores de grande acervo na área de informática. As duas entidades implementam bibliotecas privadas. No Brasil, uma iniciativa da Capes/MEC possibilita que algumas instituições de ensino superior façam acesso a várias bibliotecas científicas de acesso privado. O custo é bancado com recursos públicos da Capes/Mec que negociou com vários editores para disponibilizar o acesso a pesquisadores das instituições de ensino brasileiras. No entanto, é importante uma conscientização da comunidade científica em geral para o debate ao acesso livre.

Voltaremos a esse tema. Como sempre; comentários são bem vindos!

Jun/07 — Se o tema é de seu interesse,  leia a nota Biblioteca Digital.
…………

Leia sobre Sistemas de Informação.

Veja a página do autor.

Uma resposta to “Acesso livre às bibliotecas digitais”

  1. Revista Digital de Biblioteconomia e Ciencia da Informação « Amazing Says:

    […] de British Columbia chamada “Public Knowledge Project” que foi uma das inspirações para a Biblioteca Digital da comunidade de Engenharia de […]

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: